terça-feira, 7 de agosto de 2007

Review: The Varangian Way (Turisas)


Auto-proclamando-se como sendo praticantes de Battle Metal, os finlandeses Turisas apresentam-nos o seu segundo trabalho, The Varangian Way, que vem confirmar as boas indicações deixadas há três anos atrás com a edição da estreia Battle Metal. Importa esclarecer que os Turisas praticam uma sonoridade onde misturam elementos intrínsecos e extrínsecos ao metal, nomeadamente, power metal, death/black metal e apontamentos folk/étnicos. E fazem-no de uma forma que deixa pouco espaço para a concorrência (leia-se Korpiklaani ou Ensiferum) se manifestar. De facto, os Turisas têm mais e melhores melodias, mais poder, melhores orquestrações, melhores composições e mais criatividade que os seus pares. E voltam a demonstrar isso nesta colecção de oito temas plenos de força, melodia, orquestrações, coros de guerra, trombetas a convocarem-nos para mil e uma batalhas, vocalizações limpas e guturais, solos de violino, muita atitude e muito battle metal… Desde a abertura com To Holmgard And Beyond, uma faixa próxima do power metal melódico, quase sempre com vocalizações limpas, até ao final com o épico Miklagard Overture, respira-se aqui muito da tradição viking. Pelo meio a folk In The Court Of Jarisleif, onde o violino é rei, o folk extremo em Cursed Be Iron, com as tradições finlandesas a cruzarem o black metal, ou os coros fantásticos em Five Hundred And One ou The Dnieper Rapids, tudo associado ao facto de todos os solos serem executados em violino fazem da audição deste The Varangian Way uma experiência única e transcendental.

Nota VN: 16,50 (16º)