terça-feira, 25 de outubro de 2011

Review: One Foot To Chaos (Anonymous Souls)

One Foot To Chaos (Anonymous Souls)
(2011, Edição de Autor)

Oriundos de Sta. Maria da Feira os Anonymous Souls estão de regresso com um novo trabalho ainda mais poderoso. One Foot To Chaos é musicalmente o que as palavras do título deixam antever: precisamente um passo rumo à devastação, à violência e ao caos. Este terceiro registo, sucessor de Condolences e Agony (respetivamente 2005 e 2008), marca, simultaneamente, a passagem do décimo aniversário da banda. Por isso, nada melhor para festejar que lançar um disco capaz de criar estilhaço por todo o lado. Os momentos verdadeiramente brutais sucedem-se uns atrás dos outros, embora a banda demonstre capacidade para os ir intercalando com momentos de muita técnica e algum groove. No primeiro grupo destacaríamos a abertura com Regrets e Relentless, precisamente dois temas que servem para avisar desde logo que os Anonymous Souls não estão para brincar à violência. São mesmo violentos. A brutalidade quase no seu estado mais puro regressa em A Question Of Pride e Scar Tear. A alinhar pelo segundo conjunto, apontam-se Night Falls e Aloner, naquele que é, quanto a nós o melhor momento do disco. Uma referência ainda para dois curtos momentos mais introspetivos, claramente diferenciados do resto do trabalho, mas comprovativos de que nos Anonymous Souls não há limites. Narcotic Flow e Endpoint servem, também, para permitir que o ouvinte relaxe um pouco e se prepare para levar mais uma tareia sonora, continuando a ouvir One Foot To Chaos (no primeiro caso) ou voltando ao inicio do álbum (no segundo caso).

Tracklist:
1. Regrets
2. Relentless
3. Night Falls
4. Sub-Human
5. Aloner
6. The Release
7. Narcotic Flow
8. A Question Of Pride
9. Scar Tear
10. A Sense Of Relief
11. Promise Of A Wise Man
12. Endpoint

Line up:
Jorge – vocais
André – teclados
Emanuel – baixo
Miguel – bateria
Rui – guitarras
Ricard - guitarras

Internet:

Sem comentários: