domingo, 22 de julho de 2012

Review: Harmagedon (Affector)

Harmagedon (Affector)
(2012, InsideOut)

A semente para este trabalho dos Affector, denominado Harmagedon, foi semeada em 2006. Nessa altura, o baterista holandês Collin Leijenaar e o guitarrista alemão Daniel Fries tiveram o primeiro encontro. O resto é história e, depois de 2008, quatro anos de intenso trabalho que desembocaram naquilo que se não é o melhor disco do ano de prog metal não andará lá muito longe. Claro que afirmar isto logo na terceira frase deste comentário e referente a um nome praticamente desconhecido pode deixar algumas dúvidas e alguns céticos poderão por em causa tal afirmação. Mas a excelência de Harmagedon é de tal forma real que este é um disco progressivo em todos os sentidos do termos, fazendo jus aos grandes nomes do género, com Dream Theater à cabeça. Uma introdução instrumental dividida em duas partes (uma curta e sinfónica – com a colaboração da Sinfonietta Consonus da Polónia - e outra mais longa e progressiva); duas peças épicas com mais de 10 minutos de duração onde a banda cria e recria a essência de ser progressivo, com breakdowns rítmicos, longos solos e majestosas cavalgadas em sistemáticos duelos guitarra/teclados e minimalismo orquestral (sendo que a faixa-título remete para outros cenários mais próximos de uns Rush, por exemplo) e uma fantástica canção cheia de musicalidade e emotividade (Cry Song, que aborda a morte do pai de Daniel Fries), próxima do que habitualmente se chama de balada, embora não cumprindo todos os parâmetros do género, são os pontos mais altos deste Harmagedon. Este que é um álbum conceptual baseado nas previsões Maias e de Nostradamus, no qual o fim do mundo acontecerá no final deste ano. Para conseguirem cumprir a sua tarefa lírica com sucesso, os Affector recorreram a livros como a Bíblia para explorarem a temática. Isto fez com que as letras tenham surgido primeiro e nelas se foi desenvolvendo a música. A única exceção é mesmo a citada Cry Song. E o resultado é verdadeiramente surpreendente! A forma como a banda conseguiu transformar textos em algo “cantável” é realmente assombrosa. Aliás, como assombroso é este disco em todos os capítulos. Verdadeiramente indispensável para qualquer fã de prog metal.

Tracklist:
1.  Overture pt.1: Introduction              
2.  Overture pt.2: Prologue                    
3.  Salvation                                          
4.  The Rapture                                     
5.  Cry Song                                      
6.  Falling Away & Rise Of The Beast      
7.  Harmagedon                                     
8.  New Jerusalem                                 
  
Line-up:
Daniel Fries – guitarras 
Collin Leijenaar – bateria 
Mike LePond – baixo 
Ted Leonard – vocais

Internet:

Edição: InsideOut

Sem comentários: