Entrevista: Kentucky Bridgeburners

Que tal começar um álbum com uma música e uma letra roubada? Pois, Blaine Cartwright, vocalista e guitarrista dos Nashville Pussy e Nine Pound Hammer, faz assumidamente isso no álbum de estreia do seu novo projeto, Kentucky Bridgeburners. Mas a ousadia de Hail Jesus não está apenas neste pedir emprestado. Está em todo o conceito criado que resulta num grande disco de música onde o sentimento gospel é marcante. Imponham-se, por isso, ouvir Blaine Cartwright.
 
Viva Blaine! Obrigado por gastares algum do teu tempo a responder a Via Nocturna. Diz-me, porque sentiste a necessidade de criar este projeto?
Eu sempre quis fazer um álbum de gospel. Tinha algum tempo livre e decidi finalmente fazê-lo. Resultou tão bem que decidimos começar a tocar ao vivo.
 
Então a ideia de criar um álbum gospel já estava na tua mente há muito tempo?
Eu tive uma boa ideia para um álbum de gospel há cerca de 12 anos atrás. Ele deveria ser engraçado e atencioso em vez de sincero e humilde como Hail Jesus. Estou contente por ter esperado.
 
Mas, sendo um álbum gospel porque não optaste por colocar os coros tradicionais no género?
99% deles aborrecem-me. O objetivo era trazer a qualidade rock’n’roll para a equação. Música digna de registo.
 
E porquê um álbum inspirado na Bíblia e em Jesus Cristo?
E porque não? Há álbuns sobre tudo o resto. As pessoas cantam sobre demónios, heróis históricos e vilões transformados em heróis e vilões, criaturas míticas, reis, rainhas, profetas, falsos profetas, ex-namoradas, chefes, amigos de infância, fictícias estrelas do rock, familiares, animais de estimação. Até há uma sobre um garoto surdo, mudo e cego. E já há tantos sobre o diabo, que é ridículo. Aliás, gostaria de saber porque não há tantos projetos orientados para Jesus.
 
Quem está contigo neste projeto? Como foi a seleção dos músicos?
Basicamente, os elementos dos Nine Pound Hammer com exceção do vocalista. Nós fizemos uma tournée onde eu tive que cantar. Então percebi que esses elementos (Rob Hulsman na bateria, Earl Crim na guitarra) realmente brilhariam no projeto certo. Eu queria que eles tivessem espaço para mostrar um pouco mais. E realmente começaram a mostrar muito. Temos um miúdo local no baixo chamado Todd Gorrell. Ele aprendeu as músicas em apenas um dia e levou-nos para um outro nível. Na tournée será Bryan Malone a tocar baixo. Ele é o vocalista e guitarrista de uma grande banda chamada 45s.
 
Em Hail Jesus aparecem várias covers. Foram escolhidas pela sua abordagem lírica?
As letras são muito importantes. Eu não quero nada irónico ou imbecil. Eu queria contos simples de inspiração. Entusiásticas, mas humildes.
 
Podes descrever o facto curioso de o tema Hail Jesus ter parte de uma música de Bruce Springsteen e letras de Bob Dylan?
Eu roubei a música de uma canção nunca publicada de Bruce Springsteen chamada Chain Lightning. Utilizei-a tal como ela é. Roubei o som, o fraseado, o solo, tudo. Então pensei que poderia também roubar algumas letras ao Bob Dylan. Se ficar em apuros vou fazer com que valha a pena!
 
É verdade que We All Know What Jesus Do nasceu de uma jam e que foi gravada ao vivo em estúdio?
Mais ou menos. Nós estávamos apenas a tocar e tudo aconteceu muito rápido
 
Li que a primeira prensagem do CD já esgotou. Isso significa uma grande receção ao álbum! Esperavas isso?
Depois de ouvir a cópia final pela primeira vez, sim. É muito especial. Ele tem uma certa magia e apelo potencialmente amplo. É também muito positivo e não vai ser comercialmente limitado pela minha habitual brejeirice.
 
Pelo que já pude perceber, já há alguma coisa planeada para uma tournée com este projeto…
SIM!! E vamos na vossa direção! Nós temos 3 semanas na Espanha e talvez façamos um espetáculo em Portugal. As datas estão no site da Teenage Headmusic e no site dos Kentucky Bridgeburners.
 
E a respeito das tuas outras bandas, Nashville Pussy e Nine Pound Hammer há novidades?
Hell Yeah! Os Nashville Pussy estiveram em tournée nos EUA com os ZZ Top! Foram as duas melhores semanas da minha vida. E também iremos até à Europa e Espanha no final de setembro!
 
A terminar, queres acrescentar mais alguma coisa aos nossos leitores e fãs portugueses?
Portugal é a nova casa do rock’n'roll!

Comentários