RIP - Malcolm Young (AC/DC) - We Salute You!

Entrevista: Darktribe

A nova esperança do metal francês vem de Nice e chamam-se Darktribe. Um trabalho de estreia épico com o selo de qualidade da Massacre, Mysticeti Victoria alerta a humanidade para a eminente revolta da natureza. O baterista Julien Agnello explica como.
 
Olá Julien, obrigado por despenderes algum do teu tempo a responder a Via Nocturna. Podes apresentar os Darktribe aos fãs portugueses?
Olá! Os Darktribe são uma banda de Heavy/Power Metal de Nice (França). Quando nos juntámos o nosso objetivo era compartilhar os nossos sentimentos, sonhos e sensações com muita gente e se mantém.
 
Mysticeti Victoria é a vossa estreia. Como se sentem atualmente?
Estamos extremamente orgulhosos. Nós sempre quisemos fazer um álbum que expressasse todas as nossas emoções e os nossos pontos de vista sobre o mundo em nosso redor e foi o caso de Mysticeti Victoria. A realização foi longa desde o lançamento do nosso primeiro EP em outubro de 2009, mas nós queríamos ter uma produção que fosse digna do nosso investimento pessoal.
 
Como descreverias a música em Mysticeti Victoria?
É uma mistura de todas as nossas influências pessoais, estilos diferentes de metal, mas também punk rock, Jazz, Fusion ou Folk. Na verdade nós temos uma mente aberta e simplesmente compomos a música que gostamos de tocar.
 
Esse título, Mysticeti Victoria tem algum significado especial?
Absolutamente! Mesmo que Mysticeti Victoria não seja um álbum conceptual, há uma ideia geral por trás das letras extraídas da realidade: arruinando a Terra estamos a destruirmo-nos a nós mesmos. O nome do álbum expressa a vitória da natureza contra a humanidade. O artwork acentua esta ideia, uma incrível onda que sobrecarrega tudo.
 
Então, este álbum tem um tema literário específico?
Sim, como eu disse há uma ideia principal através das letras do álbum e cada canção em Mysticeti Victoria, escreve um capítulo desta ideia. O Anthony colocou todas as minhas emoções nas suas letras e o Loïc compôs partes de guitarra trágicas e poderosas para explicar a condição humana num confronto final com a Mãe Terra.
 
Esta é uma edição da Massacre. Como se processou o contacto entre vocês e a editora alemã?
Após o álbum ter sido produzido contactámos algumas editoras recebemos diversas propostas de contratos, mas o da Massacre foi o mais interessante para promover Mysticeti Victoria. Assinamos com eles e hoje estamos muito felizes de o ter feito, é uma equipa séria de pessoas apaixonadas.
 
E também têm o trabalho dos dois magos finlandeses no álbum. Como se proporcionou isso?
Nós gostaríamos de obter um som puro de metal épico para o nosso álbum de estreia. Depois de termos gravado todas as partes perguntamos ao Mikko Karmila e Mika Jussila dos Finnvox Studios para fazer o trabalho de mistura e masterização, em relação aos seus trabalhos nas produções de Nightwish e Sonata Arctica. Após um período de reflexão eles aceitaram. Ficamos satisfeitos e eles são realmente lendas no seu trabalho.
 
Como foi o tempo em estúdio?
No geral, foi bom mas fizemos algumas alterações em algumas canções durante as sessões de gravação e sinceramente, não foi uma boa opção porque se perde algum tempo importante para o fazer. É melhor trabalhar duro na composição antes de entrar em estúdio. Essa experiência mudou a nossa mente. Assim, para o próximo álbum, não vamos cometer o mesmo erro.
 
O que está a ser planeado, em termos de tournée, para promover Mysticeti Victoria?
Estamos realmente em contacto com algumas agências, a fim de preparar uma tournée europeia em 2013. Por agora vamos continuar a tocar em França até o final do ano. Vemo-nos na estrada!

Comentários