Review: Kings & Thieves (Geoff Tate)

Kings & Thieves (Geoff Tate)
(2012, InsideOut Music)
 
Já lá vão dez anos desde que o lendário vocalista dos Queensryche, Geoff Tate se estreou a solo. Na altura o seu álbum homónimo apresentou-se muito introspetivo, mas agora o vocalista que já conta com uma longa carreira que passa por quatro décadas, criou um álbum mais rockeiro, mais metalizado. Kings & Thieves tem, pois, mais guitarra, mais bateria, mais intensidade e mais poder que o seu primeiro trabalho. No entanto o que aqui salta à vista é a forma como é possível criar um grande disco de metal sem ter necessidade de recorrer a monstruosas paredes sonoras criadas pelas guitarras. Aliás, diríamos mesmo que este é um álbum composto por uma miríade de elementos minimalista que vão surgindo, evoluindo, desenvolvendo-se até criar, na sua conjugação, o conceito de canção. É um álbum onde toda a enfase é dada à voz e à emoção, independentemente da citada tendência mais rockeira. Note-se que as guitarras não produzem riffs, pelo menos na forma como o metal se habituou a os ouvir e criar; as guitarras aqui não sufocam, fazem parte de um todo criativo e serpenteiam de forma livre erguendo-se sublimes na genialidade dos seus solos. E o que se passa com as guitarras, acontece, também com os restantes instrumentos, nomeadamente com uma secção rítmica deveras dinâmica e precisa e uns teclados a roçar o brilhantismo na forma como se introduzem, às vezes descaradamente, na composição. Sim, este é um disco diferente. Embora, se calhar às vezes lembre os momentos mágicos de alguns trabalhos seminais dos Queensryche. Isso será normal, até pelo timbre único e inconfundível de Tate, quiçá um dos melhores vocalistas da história do metal. Mas Kings & Thieves não se prende e voa solto em múltiplas direções. A espaços, surge na paleta o groove de uns Rage Against The Machine; outras vezes surpreendem-nos os momentos techno. Mas é com a inclusão do saxofone, interpretado pelo próprio vocalista, que se criam alguns dos cenários musicais de maior beleza e, porque não dizê-lo, de maior arrojo artístico. Mais uma vez, o músico volta a criar uma pérola de melodia sinfónica arrepiante e de uma beleza ímpar em Change. Para quem ainda se emociona a ouvir Silent Lucidity, não deve perder esta nova criação. Depois há um conjunto de outros temas como Take A Bullet, The Way I Roll, Tomorrow, Dark Money (este inicio anda muito próximo de uns U2!) e These Glory Days de enorme qualidade. Grandes temas que, sem dúvida, guindam Kings & Thieves a um lugar entre os grandes trabalhos da carreira do vocalista.
 
Tracklist:
1. She Slipped Away
2. Take A Bullet
3. In The Dirt
4. Say U Luv  It
5. The Way I Roll
6. Tomorrow
7. Evil
8. Dark Money
9. These Glory Days
10. Change
11. Waiting
 
Line-up:
Geoff Tate – vocais e saxofone
Kelly Gray – baixo e guitarras
Randy Gane - teclados
Gregg Gilmore - bateria
Jason Ames – Harmony Vocals
Emily Tate – Harmony Vocals
Chris Zukas - baixo
 
Internet:
 
 
Edição: InsideOut Music

Comentários