Entrevista: Ian Danter

Um apresentador desportivo lançar um disco de rock não é vulgar. Ian Danter já não é um novato e já teve algumas experiências nesse campo, apesar de Prove You Wrong ser o  primeiro trabalho criado e interpretado pelo britânico. Numa conversa muito interessante, Ian Danter falou do seu passado, relembrou o falecido Steve Harris dos Shy, enalteceu o trabalho de Lee Small e acabou a falar de José Mourinho de regresso ao Chelsea.
 
Olá Ian! Obrigado por gastares algum do teu tempo a responder a Via Nocturna. Para começar qual a motivação que leva um conhecido apresentador desportivo a gravar um disco de hard rock?
Desde criança que toco, comecei com o piano com 6 anos, em seguida, bateria aos 10 e guitarra na minha adolescência. Já na minha adolescência escrevia músicas e também estive em várias bandas tentando ser grande, mas nunca fomos muito longe. Então, quando cheguei aos 30 anos de idade, abandonei os planos de ser uma estrela de rock – e, curiosamente foi nessa altura que surgiu a oportunidade para trabalhar na rádio. Adoro fazer rádio, trabalhar como comentador desportivo, mas continuei sempre a tocar, a escrever músicas e a dar concertos ao longo dos anos. Gravar este álbum foi simplesmente algo que eu senti que eu tinha que fazer.
 
Portanto, esta não é a tua primeira experiência. Inclusive já pertenceste aos Dressed To Kill... Que lembranças desses tempos?
Estar em uma banda tributo ao KISS é extremamente gratificante, já que próprio sou um fã da banda. Foi difícil trabalhar - tentámos recriar um espetáculo dos Kiss dos anos 70 com um orçamento muito reduzido e com pouca ajuda em termos de roadcrew. Gastámos milhares de libras nos nossos instrumentos e roupas para ficarmos tão autênticos quanto possível, mas também trabalhámos muito para ter um som autêntico. Tocamos por toda a Europa - Noruega, Suécia, Espanha, bem como no Reino Unido. Tenho boas lembranças de alguns shows incríveis em lugares como Lloret del Mar, Glasgow e Birmingham. Vou começar a tocar com os Dressed To Kill agora novamente e ainda adoro o que fazemos.
 
Portanto, com este álbum queres provar que o desporto e o hard rock podem combinar perfeitamente? É essa a principal mensagem do título do álbum?
Sim, essa é definitivamente uma das mensagens. Eu perdi a conta ao número de pessoas que me disseram quando eu comecei o álbum "O que é que estás a fazer? Qual é a ideia? Isso deixou-me ainda mais determinado a mostrar-lhes que este era um projeto genuíno, não um projeto de vaidade e que as minhas canções poderiam levantar-se por mérito próprio, independentemente de quem eu sou.
 
Mas esta ideia já vinha a desenvolver-se na tua menta há algum tempo. Por que só agora?
Ocorreram alguns acontecimentos infelizes que ajudaram a definir as coisas. Especificamente, a morte de amigos guitarristas que eu conhecia da cena rock de Birmingham, incluindo o guitarrista Steve Harris, dos Shy, que morreu de cancro ainda muito jovem. No seu funeral, falei com um produtor sobre a forma como Steve tinha conseguido completar o seu álbum com os Shy antes de seu falecimento e concordamos que as coisas têm que ser feitas quando tens oportunidade porque nunca se sabe o que a vida nos reserva. Então, concordamos que eu deveria gravar todas as músicas que eu tinha, enquanto tinha oportunidade.
 
Neste álbum tocas todos os instrumentos, mas ainda assim convidaste alguns guitarristas para os solos. Por quê?
Sim, toquei praticamente tudo no álbum e toquei seis solos de guitarra sozinho, incluindo Cloud 9 e Stronger Than That. O meu único pensamento era fazer com que os guitarristas convidados tocassem coisas que eu não conseguisse! (Risos). Como Overflow onde queria um solo muito rápido que eu nunca seria capaz de fazer. Portanto, convidei um amigo para fazer exatamente o que eu tinha na cabeça!
 
Mas talvez o convidado mais importante tenha sido Lee Small. Teve tempo para gravar o teu álbum (risos)?
Ele não tinha muito tempo (risos)! Lee é um grande amigo meu e queria que ele cantasse a grande maioria do álbum, pois eu sabia que só ele poderia dar-lhe a verdadeira qualidade e classe. Combinamos entre nós que Prove You Wrong,  Overflow e I Wanna Be A Has Been eram canções nas quais eu estava em melhor posição para cantar com o meu estilo vocal e Lee pegou nas linhas vocais do resto das canções e interpretou-as à sua maneira. Estava muito nervoso quando me enviou de volta o trabalho que tinha feito, uma vez que não tinha estado com ele quando gravou as suas partes, mas quando ouvi a primeira linha da primeira canção que ele enviou (que foi Stay In My Heart) apercebi-me que ele tinha feito um trabalho incrível.
 
Lee Small tem tido imensas solicitações nos últimos tempos... Foi fácil poderes contar com ele?
Lee trabalhou muito rapidamente na gravação das suas peças, e para ser mais fácil para ele, trabalhou sozinho no seu estúdio em Londres, em vez de vir até Birmingham, onde eu estava a gravar. Ele fez tudo em quinze dias se bem me lembro e deu-me tudo que eu poderia ter pedido. Muito fácil ter contado com ele!
 
E agora, estás a pensar ir em tournée?
Sim, vamos. Estruturei uma banda onde irei ser o vocalista e guitarrista já que Lee está ele próprio em tournée e não está disponível. Mal posso esperar para tocar este material ao vivo!
 
E agora falando com o apresentador desportivo de renome, achas que Mourinho vai voltar para o Chelsea? (Risos)
Oh, sem dúvida, vai acontecer. O próprio Rafa Benitez sugeriu isso nos últimos dias. Mourinho vai argumentar que tem assuntos inacabados com o Chelsea, mas ele teve uma relação difícil com o dono Abramovich no final da sua primeira presença lá. É essa relação que estará sob o microscópio no início - eles acertarão as suas diferenças? Uma coisa é certa - os adeptos do Chelsea vão acolher José de volta – gostam muito dele!
 
Bem, é tudo por agora, obrigado pelo teu tempo, mais uma vez. E dou-te a oportunidade de dizer mais alguma coisa que não tenha sido abordado nesta entrevista...
Eu só gostaria que todos pusessem de lado quaisquer equívocos sobre a ideia de um apresentador desportivo lançar um álbum de rock e ouvissem Prove You Wrong. Acho que serão surpreendidos com o quão bom ele é, na minha opinião! Obrigado!

Comentários