Entrevista: Mena Brinno

Numa altura em que o metal de influência gótica e sinfónica já não tem a mesma dimensão de outros tempos, acompanhando também o declínio do seu principal nome, os Nightwish, é de assinalar a existência de uma jovem banda norte americana capaz de erguer a bandeira do género. Mena Brinno é o seu nome e o seu disco mais recente, Princess Of The Night, volta a empolgar os fãs. Para conhecer um pouco melhor este coletivo fomos conversar com a talentosa vocalista Katy Decker.
 
Olá Katy! Obrigado por despenderes algum do teu tempo a responder a Via Nocturna. Para começar, podes apresentar os Mena Brinno aos metalheads portugueses?
Olá a todos! Mena Brinno é uma banda de gothic metal com elementos folk, clássicos, teatrais e de bandas sonoras.  
 
Quais são as vossas principais influências?
Cada membro dos Mena Brinno tem muitas influências diferentes e isso é perfeitamente audível no nosso disco. Sean, o nosso baterista, tem influências de um grupo bastante diversificado de músicos. No entanto, as suas principais influências provavelmente serão King Diamond/Mercyful Fate (gostamos de tocar Dressed In White nos nossos espetáculos ao vivo), Slayer pré 1994, Opeth e muito dark ambient doom jazz. O seu baterista favorito de sempre foi o falecido Huub Janssen. Marius ouve muita música clássica, bem como black metal e metal gótico. Também tem vários projetos solo. As maiores influências de Doug são Theatre of Tragedy, Birthday Massacre e The Gathering.
 
Princess Of The Night chega agora à Europa, mas já foi anteriormente lançado nos EUA. Esta versão europeia é igual à americana ou tem algumas mudanças?
De facto só chegou agora à Europa agora, mas não escolhi fazer duas datas de lançamento diferentes. Nós gostamos muito dos nossos fãs europeus e espero que ele seja bem recebido. Estamos orgulhosos do nosso trabalho passado, acreditamos que Princess Of The Night é o nosso melhor álbum até à data e será especialmente bom tocar para o público europeu, que sempre foram fãs leais de Mena Brinno.
 
E como têm sido as reações no teu país?
Até agora, temos tido um feedback muito positivo dos EUA. Este registo, como sabes, explora uma área diferente dos nossos interesses artísticos - é muito mais gótico que os nossos álbuns anteriores, que eram muito mais folk. Isso significa que Princess Of The Night vai apelar um pouco para um público diferente, tanto nos EUA como na Europa.
 
E o atual line-up de Mena Brinno é o mesmo que podemos ouvir em Princess Of The Night?
Sim, mas nós tivemos músicos de sessão na bateria e baixo antes da formação atual comigo, Doug Sellers, Marius Kozlowski (que está na banda desde o início) e Sean Currie.
 
Ainda a respeito de line-up, Fausto Miro, o flautista, é membro efetivo dos Mena Brinno ou apenas um convidado no álbum?
Fausto é um artista convidado embora possa fazer alguns espetáculos connosco no futuro. Foi divertido trabalhar com ele e é extremamente talentoso. Uma vez que iremos continuar a usar flautas e outros instrumentos tradicionais na nossa música, e nós preferimos músicos de performance ao vivo, esperamos continuar a usar seus talentos.
 
Uma vez que já passou cerca de um ano desde que a primeira edição de Princess Of The Night, suponho que vocês já estejam a trabalhar em novo material. É verdade? O que podem os fãs esperar?
Sim, estamos a trabalhar em novo material. Decidi continuar a explorar o território aberto que o metal gótico nos oferece, sem abandonar o folk e outras influências musicais. Estou muito animada porque vejo progresso musical em cada apresentação ao vivo e com cada álbum que gravamos. Acredito que ainda temos de explorar plenamente as nossas personalidades criativas e realmente acho que a nossa melhor música está por vir. Fiquem ligados! Espero que o nosso próximo álbum esteja concluído no início de 2014.
 
Deixa-me dizer-te que tens um excelente desempenho neste álbum. Tens formação clássica ou de ópera?
Sim. A minha formação é em ópera e teatro musical. Treinei especialmente na ópera e a possibilidade de fundir os vocais operáticos com a música moderna eletrónica inicialmente atraiu-me para o metal. O meu canto evolui sempre em relação ao que está a acontecer na minha vida, as minhas emoções no momento e de acordo com o que estou a escrever.
 
E a respeito dos outros elementos, qual é o seu background musical?
Nos Mena Brinno estamos juntos há mais de sete anos e já realizamos centenas de espetáculos. Cada um é tão emocionante como o último e esperamos ter ainda mais centenas.
 
Existe alguma hipótese de virem até à Europa para apresentar Princess Of The Night ao vivo?
Nós adoraríamos. Os Mena Brinno tiveram a última tournée pela Europa em 2009, principalmente pelo Norte - Alemanha, Bélgica e Holanda. Esperamos poder fazer uma nova tournée pela Europa num futuro próximo e desta vez podermos fazer o Mediterrâneo e especialmente Portugal!
 
A terminar, queres dizer mais alguma coisa que aches relevante e que não tenha sido abordada nesta entrevista?
Em primeiro lugar, esperamos que todos os teus leitores possam ouvir Princess Of The Night. Para nós, tudo isto é a respeito de música- somos todos músicos experientes, dedicados ao processo criativo e adoramos a nossa música e os nossos fãs. Esperamos que todos vocês se encontrem inspirados a ouvir Princess Of The Night. Se gostarem, por favor, avisem-nos! Nós tocamos sobretudo para sermos ouvidos!

Comentários