Entrevista: The Black Cadillacs

Mais um coletivo do Tennessee a destilar rock n’ roll de forma superior. Depois de All The Witches (de 2010), Run é o mais recente trabalho do coletivo. Ainda antes do lançamento de dois temas novos em vinil e da sua estreia no velho continente, e numa altura em que já trabalham no seu terceiro trabalho de originais, John Phillips numa forma telegráfica despachou-nos da forma que se segue. 

Olá John, obrigado por este tempo com a Via Nocturna. Antes de mais, quem são os The Black Cadillacs?
Will Horton (vocais e harmónica), Matthew Hyrka (guitarras), John Phillips (guitarras), Philip Anderson (baixo) e Adam Bonomo (bateria).

Quando começaram este projeto? Quais eram os vossos objetivos nessa fase inicial?
Nós começamos a tocar juntos por diversão. Quando começamos a ver mais e mais pessoas nos nossos espetáculos, percebemos que tínhamos algo pelo qual valia a pena lutar.

Que nomes ou movimentos mais vos influenciaram?
O rock n’ roll dos anos sessenta e setenta tiveram uma enorme influência sobre nós, especialmente a parte inicial. Bandas como os Rolling Stones, The Who, T Rex, etc


Podes falar um pouco da vossa história até agora?
Matthew e Will (que são primos) e Philip (o melhor amigo que morava na mesma rua) começaram a escrever músicas juntos, em 2004. Mathew e Philip mudaram-se de Memphis para Knoxville devido à faculdade e lá conheceram-me a mim e ao Adam. Nós cinco lançámos o nosso primeiro álbum, All Them Witches, em 2010 e nosso segundo álbum, Run, em 2012. Desde o verão de 2011, fizemos cerca de 200 espetáculos em 25 estados diferentes. Vimos um enorme crescimento em termos de apoio dos fãs nos últimos anos e estamos empolgados para gravar novas músicas no próximo inverno.

Vocês são do Tennessee, portanto. Nos últimos anos a cena por aí tem desenvolvido muito…
Sim, o Tennessee tem uma cena musical incrível. Especialmente quando se trata de rock and roll. Tivemos a oportunidade de conhecer e dividir o palco com inúmeras grandes bandas deste Estado.

Achei curioso o vosso nome… porque The Black Cadillacs?
O nome é uma referência a uma música de Lightnin Hopkins.

Falando agora de Run, como o descreverias?
Indiscutivelmente é um álbum de Rock and roll. Há elementos de Blues, Country e Soul, mas é um registo rock n’ roll.

O álbum foi gravado ao vivo no estúdio. Como foi a experiência?
Estamos acostumados a executar as nossas músicas ao vivo e queríamos capturar essa mesma energia de forma a se poder sentir no álbum. Definitivamente sentimos que conseguimos atingir esse objetivo.

Sei que tiveram alguns convidados neste trabalho. Podes apresentá-los?
Jason Thompson (saxofone), Joe Jordan (trompete), Nik Hatmaker (trombone). Uma secção de sopros.

Sendo este um lançamento de 2012 podemos afirmar que ainda representa os atuais The Black Cadillacs?
Absolutamente. Apesar de sentirmos que, definitivamente crescemos desde o verão passado, ainda adoramos tocar essas músicas e continuamos a encontrar maneiras novas e emocionantes para as apresentar a novos públicos.

E suponho que já haja algo de novo a respeito de um próximo álbum...
Lançaremos a 8 de novembro um vinil 7’’ com duas músicas novas. Também estamos a escrever novas canções e a trabalhar para um novo álbum de estúdio a ser lançado em breve.

Têm algum vídeo para Run?
http://www.youtube.com/watch?v=qEwd8_tJkeI

Para quando a vossa vinda até à Europa?
Meados de março a meados de Abril.

Mais uma vez, obrigado, e dou-te a oportunidade para dizeres mais alguma coisa que não tivesse sido abordado nesta entrevista...
É um anseio de longa data podermos tocar na Europa, por isso mal podemos esperar até a próxima primavera. Vemo-nos em breve!

Comentários