RIP - Malcolm Young (AC/DC) - We Salute You!

Entrevista: The Milestones

Já imaginaram cinco finlandeses a tocar de forma mais americanizada que os próprios americanos? Pois bem, é o que os The Milestones nos oferecem. Southern rock ao melhor estilo clássico, old school. A cumprirem duas décadas de carreira, apresentam apenas o seu quarto trabalho, primeiro para a Listenable que, agora, se encarregará de os fazer chegar o mais próximo possível do sol…

Viva! Obrigado pela vossa disponibilidade…
Obrigado, meu, o prazer é meu. Estou feliz de poder responder.    

Higher Mountain – Closer Sun, é já o vosso quarto álbum... Como foi a preparação para este novo lançamento?
Basicamente começamos a escrever para a Higher Mountain - Closer Sun logo após o nosso último álbum Devil In Me ter sido lançado. Aliás, antes ainda. Escrevemos um monte de músicas e ainda tocamos algumas delas ao vivo. Embora aquelas músicas que tocamos ao vivo não façam parte deste álbum.  

O que se passou para um hiato tão grande para o vosso álbum anterior?
Nós queríamos fazer um álbum que tivesse fillers ou canções fracas. Antes de irmos para estúdio escolhemos 13 canções de cerca de 25. Também tivemos algumas complicações com a editora que levaram algum tempo a serem resolvidas. Devo dizer que demorou um pouco mais do que era suposto, mas isso até é uma coisa boa. Tivemos mais tempo para criar um álbum que adoramos e do qual não temos nada a reclamar.

É a vossa estreia para a francesa Listenable, certo? Como se proporcionou essa ligação?
Sim, este é o nosso primeiro disco com a Listenable Records. Depois de termos terminado as gravações começamos a procurar uma nova editora. Procurámos em editoras europeias que tivessem, pelo menos, uma ou duas bandas de rock no seu catálogo. Tínhamos ouvido falar bem da Listenable e eles pareciam adorar a nossa música. Portanto, não foi uma decisão difícil de tomar.  

Já foram considerados como responsáveis pelo renascimento do southern rock. Como reagem a isso?
É bom que as pessoas pensem assim. De facto, o southern rock nunca desapareceu, sempre houve muitas bandas a fazer southern rock. Mas se as pessoas pensam que nós ajudamos um determinado género sentimo-nos bem, é claro.

E como surge uma banda finlandesa a tocar southern rock com um feeling mais sulista que os próprios norte-americanos (risos)?
É engraçado, até mesmo alguns americanos dizem que o nosso som é mais americano do que qualquer nova banda norte-americana. Eu não sei, apenas tocamos a música que todos nós gostamos e acontece soar de forma sulista.

Quais são as vossas principais referências?
Eu diria Rolling Stones, Bad Company, Foghat, The Black Crowes, AC/DC, Lynyrd Skynyrd - basicamente qualquer banda que tenha o som do rock clássico. Todos nós ouvimos essas bandas pelo que surgem todos adicionados na mistura.

Podes descrever, para quem não vos conhece, Higher Mountain – Closer Sun?
É o nosso quarto álbum, e o primeiro a ser lançado também em vinil (na Finlândia). Trata-se de um belo conjunto de canções que construímos durante os últimos anos. Apenas uma música do álbum é de sessões anteriores. Quem é fã de rock clássico e daquele som de rock clássico old school tenho certeza que este álbum é para eles.  

Porque um título como este? Algum significado especial?
Olavi (o nosso vocalista) surgiu com o título. Significa que quanto maior a montanha que tenhas, mais perto estás de chegar ao sol. E um lugar ao sol é o que queremos ter. Também descreve os nossos 20 anos a subir em direção ao nosso objetivo. Também pode significar um grande sonho, sem importar sobre o quê.

É verdade! Vocês estão comemorar o vosso 20 º aniversário. Como se sentem quando olham para trás? Se tivessem a oportunidade mudaria alguma coisa que tenham feito? 
É divertido olhar para trás e lembrar todas as coisas que fizemos ao longo dos anos. Muitas histórias e todas as pessoas que conhecemos. Hmm, nada a mudar, na realidade, embora depois do primeiro álbum pudéssemos ter lançado um álbum mais similar. Acho que com o segundo álbum perdemos algum tempo. Gosto do álbum, mas não soa como os outros álbuns de The Milestones. 

Estão a preparar algo especial para comemorar o 20º aniversário?
Sim, iremos voltar a lançar nosso primeiro álbum, Vol. 1, que está, há muito tempo, descatalogado. Teremos também alguns shows especiais. Ainda não tenho detalhes, mas será, definitivamente, algo especial.

E como vês a evolução do rock n roll nestes últimos 20 anos?
Bem, na realidade, não ouvi muitas bandas novas. A mim parece-me que as músicas são recicladas uma e outra vez, com álbuns com um som muito polido para o meu gosto. Gosto de ouvir uma verdadeira banda, não uma produção extravagante com canções fracas.

Imagino que tenha havido imensa diversão durante as gravações…
Oh sim, foi muito divertido. Independentemente de ter demorado cinco anos para ter o álbum pronto, a gravação e mistura durou cerca de duas semanas, ou nem isso. Gravamos todas as pistas básicas de forma live todos juntos na mesma sala. Este é o melhor caminho para nós.

E quanto a tournées já há alguma coisa planeada?
Não temos nada ainda, mas vamos começar a marcar em breve.  

Bem, foi um prazer conversar contigo. Queres acrescentar mais alguma coisa para os nossos leitores ou para os teus fãs?
Quem gosta da velha escola do rock clássico, deve adquirir este álbum. Tenho a certeza que irão adorar! Continuem a visitar o nosso site e Facebook para mais notícias. Espero ver-vos a todos em breve nos concertos. 

Comentários